Logo-2017

Tenho sorte de ter amigos com quem aprendo um monte de coisas. Por exemplo, uma moça que é minha amiga há uns 300 anos, a Flávia. A gente toda a vida troca receitas, e recomendações de leituras, e impressões sobre a vida de maneira geral.
Costumo considerar que, se estou indo com o milho, lá vem ela com o fubá. No caso de hoje, temos o leite de amendoim.
Do jeito que eu preparo, leva mais ou menos um dia. Do jeito dela, são só uns minutinhos – o que vem bem a calhar quando estou com um bolo no forno e lembro que me falta o leite para a calda.


 

Faz alguns meses, diminuí o consumo de laticínios e ovos em casa. Por nenhum motivo muito específico, é só que não ando lá com muita vontade de comê-los, e além disso são produtos extremamente perecíveis. Não é algo que dá pra comprar e deixar na geladeira por trezentos anos para consumir de ver em nunca (os ovos até que dá, mas enfim).
Um pouco por esses motivos, um pouco pelo desafio de fazer comida gostosa sem esses ingredientes - que estão em praticamente qualquer receita - meio que deixei de comprá-los. O engraçado é que demora pra pensarmos em cozinhar de fato sem laticínios e ovos. O que acontece mesmo é usarmos as mesmas receitas adaptadas com substitutos.
Aí fiquei experimentando, procurando modos de preparar leites vegetais, e hoje estou dividindo o que se tornou minha receita básica para fazê-lo com oleaginosas.


Faz pelo menos um ou dois verões que tenho vontade de publicar receita de picolé, já não me lembro.

Nesse tempo todo venho pensando em como fazer picolés que não sejam blocos de gelo duro, mas que também não dêem muito trabalho (ou seja: que não exijam usar batedeira ou remisturar a cada meia hora) e que também não levem ingredientes industrializados esquisitos.

Hummm. Como simplificar?

Bom, descobri algumas coisas sobre o processo através de tentativa e erro, e acho que finalmente dá pra postar uma " fórmula" como fiz com as barrinhas crocantes.

Porém, antes de pular para a receita, queria contar que fui entrevistada pela Melanie Moreira para o site Receitas sem fronteiras, contando um pouco sobre os caminhos que me levam para a cozinha.

A foto que ilustra a entrevista é da Nicole Samperi, para ler clique aqui. Vai que você anima a ir pra cozinha também? :)


Não sei vocês, mas eu sou uma pessoa que gosta de comida. Mesmo.

Me dá um bruta mau humor ter fome e/ou vontade de comer, e não ter nada à mão para beliscar.

E com essa onda em que ando de comer direitinho e saudável, a trama se complica.

Porque às vezes até daria pra quebrar o galho em alguma padaria do caminho, mas não ando com vontade de comer pão de queijo e pão francês o tempo todo (além do mais, cada bocadinho que se compra na rua em São Paulo representa uma porcentagem significativa dos ganhos mensais de um ser humano).

Eis que em maio do ano passado, juntando informações daqui e dali, e testando um pouco, fiquei feliz com a receita/fórmula que desenvolvi para barrinhas de aveia.

Cê vê: elas ficaram do jeito que eu gosto. Crocantes, e aceitando bastante variação nos ingredientes.

A questão é a seguinte: se eu tenho fome, em geral preciso de algo salgado. E isso não é possível com a receita daquelas barrinhas de aveia.

Têm aparecido no mercado algumas opções de barrinhas salgadas. Pelo que ouvi dizer, quase todas são esquisitas ao paladar. Ainda assim, são possíveis.

Lá vai a Flora procurar pela internet receitas de barrinhas salgadas. Mas não foi fácil de achar.


2

Biscoitos com pé de moleque

05/06/2014 - 2 Comentários - Receitas | Amendoim, Biscoitos

Sabe quando você vê uma idéia muito boa, mas tão boa que você queria que fosse sua?

Ta aqui um exemplo. Quando li o nome do post no Technicolor Kitchen, me empolguei toda.

E a foto ajuda.

Mas não usei a mesma receita que ela, porque achei que esses biscoitinhos amanteigados e o pé de moleque comum seriam mais do meu gosto.

E a verdade é que não é nada prático comer esses biscoitos, espalha farelo pra todos os lados, mas que delícia! O pulo do gato é fazer os biscoitos bem pequenos, e pingar porções pequenas de pé de moleque por cima, assim dá pra comer um bocadinho de cada vez sendo civilizado.


2

Em ritmo de festa - Panettone

05/06/2014 - 2 Comentários - Receitas | Amendoim, Nozes, Pão, Uva passa

 

Bom, como tamos perto do natal e panettone é uma tradição, aqui vai.

Na minha opinião, dá presentes ótimos.

Fiz um pouco diferente, mas me baseei muito na receita da Susan.


O que temos aqui?

Um menino de aniversário, um potão de doce de leite mineiro (acho que eram 500g, talvez mais), amendoins fantásticos.

Pra mim pareceu uma boa idéia transformar tudo isso em um bolo de canela recheado de crocante de amendoim e doce de leite. Adaptei essa massa aqui, que ficou um pouco mais seca do que eu esperava, mas ainda assim boa, e o resultado foi o bolo da foto.


0

De repente, pé de moleque

05/06/2014 - 0 Comentários - Receitas | Amendoim

Eu às vezes tenho uma necessidade súbita de comer algo doce.

E não consigo pensar em outra coisa, até comer o bendito do doce. Nem que seja uma bala juquinha.

Já eram 22h, e eu olhei ao redor pra descobrir que ingredientes eu tinha com o potencial de se transformar em sobremesa expressa.

O pote de amendoim não deixou dúvidas: pé de moleque.


0

Bombons de manteiga de amendoim

05/06/2014 - 0 Comentários - Receitas | Amendoim, Chocolate

Lembra do reese's?

Era pra ficar parecido. Tirei a receita daqui.

E eu achei que não ficou parecido não, mas ficou bom.

E o pessoal disse que não se importa de eu ficar tentando até aperfeiçoar a receita. :P


Ontem teve picnic com uns amigos no ibirapuera.
Fiz umas bolachinhas pra levar. Ficaram bem feiosas, mas o gosto ta bom.
Da próxima vez cuido mais da aparência delas...