Bg_site_br

3

Lámen – conforto para a melancolia.

22/06/2016 - 3 Comentários - Receitas | Broto, Cenoura, Cogumelo, Culinária oriental, Massa, Oriental, Ovo, Sem ovos, Vegano

Existir não é um negócio simples, embora haja momentos absolutamente deliciosos nessa vida.
Dizem por aí que na adolescência a gente passa por questionamentos, dúvidas e tudo o mais. Mas, seriamente, há quem possa dizer que passou dos 20 e agora sabe o que fazer com tudo isso que a gente é?
Eu continuo sem saber, de verdade.

Quando eu morava em Sampa e esse sentimento ficava muito grande, no primeiro dia que tivesse folga ia para a Liberdade. É um lugar que sempre me fascinou, desde os primeiros meses na cidade. Percorrendo 4 estações de metrô, eu chegava a outro mundo. Bonito, intrigante, incompreensível. Ia passear, me perder nas ruazinhas, e por algumas horas absorvia o lugar só com os sentidos, sem pensar, sem tentar entender. Me reconfortava essa sensação de ser estrangeira.
E tem uma comida que pra mim resume e traz à tona todo esse clima: lámen.

Lámen é um precursor do fast food, uma comida tradicional japonesa, de rua/de balcão, que serve para alimentar bem, ligeiro e barato.
Consiste em uma cumbuca de macarrão com caldo bem quente, e complementos (cogumelos, algas, verduras, carne de porco).
O lugar mais encantador onde já comi lámen, e volto sempre que posso, é o Aska. Uma vez fui no Kazu, que gostei também.
O Gabriel já falou sobre este prato na coluna Comida de Rua aqui, e deu uma receita de massa.

Fast forward pra 2016, morando na pequenina Pomerode/SC (“a cidade mais alemã do Brasil”). Amo esse lugar, mas há coisas – como o lámen – que me deixam com saudade da cidade grande. Para tê-las aqui, só se preparar em casa e providenciar os ingredientes fora.

Eis que dei sorte! Recebi em casa uma caixa vinda diretamente do Japão, da loja Washoku Explorer, com um kit para preparar lámen.
Veio com a tigela donburi e a colher tradicionais, sobá (a massa de trigo sarraceno), tempero em pó e em pasta para o caldo, cogumelos, algas e cebolinha.
Uma coisa engraçada sobre o lámen é que, ao comer este prato, mesmo pessoas como eu (que pensam em comida o dia inteiro), sentem saciedade por horas.
Dá um sossego mesmo, mais ou menos como um cafuné no estômago.

Para preparar o bendito:
- comecei colocando o cogumelo kikurage de molho em água com uns 30 ou 40 minutos de antecedência.
- No caso do kit Washoku, para cada pessoa fervi 480ml de água filtrada, em que cozinhei uma porção de massa por 2 minutos, logo desliguei o fogo.
- Acrescentei os temperos em pó e em pasta que vêm junto de cada porção de individual de massa. Não consegui saber exatamente do que se tratam, mas são salgadinhos e oleosos, levam um tiquinho de pimenta e sementes de gergelim.
- Transferi cada porção para uma tigela, organizei em cima um punhado do cogumelo hidratado, 2 folhinhas de alga, e a cebolinha seca.
Poderia ter acrescentado um ovo bem cozido, mas eu não quis. No Aska, gosto de pedir junto broto de feijão moyashi e milho cozido.

Quando não recebo mimos como esta caixa, minha versão de lámen caseiro é assim:
- Um punhado de cogumelo por pessoa.
 Se eu comprar cogumelo fresco, lavo com delicadeza, corto em fatias, salteio em azeite de oliva rapidamente (se tiver óleo cru de gergelim para usar em vez do azeite, melhor ainda).
 Se comprar cogumelo seco, deixo de molho em água morna por uma hora antes de preparar. Depois deste tempo, escorro, fatio, salteio, e reservo o cogumelo.
- Fervo 480ml de água por porção.
- Cozinho um punhado de macarrão sobá pelo tempo indicado na embalagem. (O sobá é um dos itens que tenho que providenciar quando vou a Curitiba ou a São Paulo, em lojas de produtos orientais, pois não encontro em Pomerode e arredores. Caso não encontre, pode-se substituir por talharim fininho ou espaguete, o integral é mais parecidinho. Ou pode-se preparar a massa, como na receita do Gabriel).
- Dissolvo 1 ½ colher de sopa de missô na água quente para formar o caldo. (Missô é uma pasta fermentada de soja e arroz, presente em diversos pratos e temperos japoneses, deliciosa. Também só encontro na cidade grande).
É muito comum usar caldo de porco em vez de água. Para quem curte, fica esta opção.
Ou ainda, dá pra substituir o missô por shoyo, que é mais fácil de encontrar.
- Ajeito cada porção de massa e o respectivo caldo na tigela de servir. Coloco por cima um punhado de cogumelo, broto de feijão moyashi, grãos de milho cozido e/ou cenoura cortada em palitinhos finos. Finalizo com umas duas folhas de alga seca, cebolinha fresca, sementes de gergelim e uma pitadinha de pimenta vermelha em pó.

Para quem gosta de ter várias opções, recomendo também a receita de Dunja Gulin no livro Indispensável. Esta publicação traz só receitas veganas, e é uma mais gostosa que a outra.

Como usando os hashis para pescar massa e acompanhamentos, alternando com colheradas do caldo fumegante. A atenção fica inteirinha ali no prato, e o mundo se dissolve.

Depois de curtir a melancolia, curtir o lámen, e começar a voltar para o cotidiano aos poucos, lembro de uma coisa linda que só poderia ser dita por alguém que já está pra lá dos 70 anos de idade. Esta minha amiga, que aliás é de origem japa, disse assim:
“Sabe, Flora, quando eu fiz uns 60 anos, comecei a sossegar, achei que a minha vida estava na fase final, que não tinha muito mais pra onde ir. Depois que passei os 65 aconteceu tanta coisa, mudou tudo. To vendo que tem tanto o que aprender. Vou mais é pôr a mochila nas costas e passear pelo mundo”.
Tem como não desanuviar, depois dessa?

Enfim, amores. Com qual comida vocês preenchem o vazio existencial?
Ou: qual almoço delicioso preparam com muita pressa?
Espero vocês nos comentários, no facebook, e no instagram!

24/06/2016 14:56:55

Sarah Pinnow

Comentário
Que delícia! Deu conforto só de ler e olhar estas fotos! E tb gostei da ideia do programa de culinária hein?????

Resposta da Flora
Oi Sarah! Ai que bom ler teu comentário! Tão querida. Olha.. já to trocando umas mensagens com o Celsinho pra gente levar a ideia adiante. Quem sabe em breve temos novidades? :)

24/06/2016 06:06:39

Celsinho

Comentário
Sinto cheiro de um programa de culinária chegando!

Resposta da Flora
rapaz... tava só esperando a oportunidade certa pra jogar começar essa conversa! oba!

23/06/2016 18:45:51

Rafael Rodrigo de Morais

Comentário
Ficou muito bonito o lámen! Na correria do dia a dia eu costumo fazer pastel com massa de lasanha, pelo menos na aparência, eles lembram um pastel de feira :)

Deixar um Comentário