Bg_site_br

1

Detalhes tão pequenos – Como abrir um coco com classe.

15/08/2016 - 1 Comentários - Detalhes tão pequenos | Coco, Leite de coco, Leite vegetal, Vegano

Se você opta por usar coco embalado/desidratado nas suas receitas em vez da fruta fresca porque acha que abri-la em casa dá trabalho demais, aproveite o post de hoje! Vou te explicar como é simples e rápido de fazer, e ainda por cima com a maior classe ;)

Coco verde é menos comum de encontrar, e concordo que dá muita mão de obra. Essa versão deixo para aproveitar quando estou na beira da praia.
Mas o coco maduro a gente encontra em qualquer mercado, feira, sacolão e afins por preços ótimos, com a polpa macia, doce, e gordinha. E sem as desvantagens de compra-lo como produto processado: sem aditivos químicos, embalagens, sem adoçar ou desengordurar.

Vamos aos fatos.Primeiro, a escolha: na hora de comprar coco maduro, chacoalho o coco e presto atenção ao som para saber se tem água dentro. Quanto mais seco estiver, menos fresco.
É interessante reparar na casca deles, pois os de casca grossa – é claro – são um pouco mais difíceis de abrir.
Por último, olho para as três que ficam em um dos extremos. Quando estão mais para o preto do que para o marrom, pode ser sinal de que a fruta não é fresca, e aí pode acontecer de o coco ter gosto ranço. Se estas cavidades estiverem com um aspecto de que têm fungo, aí é certeza que está ranço.

Chegando das compras, separo as ferramentas para abrir o coco: saca-rolhas e martelo.

Uma daquelas três cavidades no topo do coco é macia o suficiente para perfurar com o saca-rolhas, as outras são duras como o restante da casca. Depois de verificar qual é qual, perfuro a superfície da fruta do mesmo jeito que tiraria a rolha de uma garrafa de vinho, e apoio o coco com o furo para baixo sobre um copo para recolher a água (que é deliciosa, maravilhosa, cheia de minerais e micronutrientes).

Em seguida, seguro o coco com uma mão enquanto com a outra dou pequenos golpes com o martelo em torno da fruta para que a polpa se solte. Depois de alguns golpes dá para perceber a polpa se soltando, e depois de mais alguns a casca de rompe.
A partir daqui, há alguns jeitos de terminar o serviço. Ou seja, separar da casca as partes da polpa que ainda estiverem coladas.

Um jeito, o mais prático na minha opinião, a rigor a gente não deve recomendar para os outros. Mas é esse que eu uso: pego uma faca pequena e sem fio (pode ser uma espatulazinha de metal, uma colher...) e espeto entre a polpa e a casca, movimentando até soltar uma da outra.
Não pega bem recomendar este método porque eventualmente a faquinha escapa e a gente se machuca, mesmo que ela não tenha fio. Quem quiser, corre o risco. Com o tempo pega-se o jeito, e afinal não é nenhum absurdo.

O segundo método é: depois de partir o coco em pedaços com o martelo, deixa-lo dentro da geladeira de um dia para o outro em pote ou prato sem tampar. Assim, a polpa resseca um pouco e se encolhe, soltando da casca com facilidade.

O terceiro: tem gente que coloca os pedaços de coco partido (ou até a fruta inteira antes de quebrar a casca) diretamente sobre o fogo, e jura que solta super fácil. Das vezes que tentei fazer assim, não achei que facilitou não. Talvez devia ter deixado mais tempo, sei lá.

Enfim, ao terminar de separar a polpa e a casca, passo os pedaços de coco sob água corrente para tirar os fiapos que podem ter ficado, deixo escorrer e guardo em pote tampado dentro da geladeira. Fica bom por uns 10 dias, tranquilamente.

Quem tiver mais macetes, conte para nós nos comentários!
Daqui a pouco estou de volta – com uma receita que envolve coco, é claro. 

Beijos, queijos!
Encontro você no facebook e instagram enquanto não estiver por aqui ;)

27/04/2017 21:24:06

Maria Alice

Comentário
Um bom macete, porém demorado, é colocar o coco dentro do congelador e esquecer ele lá por horas. Ele se racha sozinho e se você deixar ele repousar por mais algum tempo, ele se solta completamente da casca. Eu deixo durante a noite, no outro dia pela manhã eu termino o processo. Acho super válido se programar e fazer assim...até prefiro na verdade, minha experiência com ele no forno também não foi das melhores.

Resposta da Flora
Menina, que interessante! Nunca tinha escutado sobre este método. Obrigada pela dica, vou testar por aqui também! Um beijo.

Deixar um Comentário