Logo-2017

1

Detalhes tão pequenos - Preparando um cardápio: como e porquê.

04/01/2016 - 1 Comentários - Detalhes tão pequenos | Organização

Bom dia, gente linda!
Vamos tirar a poeira e dar uma movimentada nesse blog? To com saudade de publicar aqui. Como estão vocês? 

Pensei em começar o ano com um post de organização, já que neste momento muita gente está no clima de organizar hábitos.
Andei pensando na quantidade de vezes em que, recentemente (antes do recesso), eu poderia ter comido almoços e lanches mais gostosos/saudáveis/baratos, se tivesse planejado antes.
É claro que gosto de comer na rua também, mas quando faço isso por gosto, e não por comodismo.
Poderia comer em casa, ou levar algo legal, mas não fui à feira. Poderia ir à feira, mas comprar quanto e o quê? Em que dias estarei em casa nesta semana?
Rascunhar um cardápio pode ajudar muito a evitar esta enrolação, e não é nada complicado (embora talvez pareça).

Na maior parte das vezes, a inércia se instala porque a gente não sabe nem por onde começar.
Faço uma vaga idéia do que poderiam ser os almoços ao longo da semana, mas minha tendência é ser repetitiva. Além do mais, concluí que, mesmo almoçando em casa todos os dias, preciso usar a lógica da marmita. Se tiver de fazer algo além de aquecer a comida e servir a mesa, acabo optando por comer na rua.
Ou seja: para dar certo, preciso preparar tudo com antecedência. De preferência, em um dia só.
Para empunhar facas e tábuas com confiança, deixando a mente vagar, é bom ter decidido antes o que fazer.

A ordem de fatores fica assim:
Seleciono receitas para o número de dias que quero deixar resolvidos; pode ser uma semana, pode ser um mês. Não que eu vá cozinhar os almoços do mês de uma vez só, mas a tendência é me empolgar no momento de ler receitas. Acho particularmente gostoso me perder em livros, cadernos, sites, blogs, em vez de pensar uma receita e googlear como fazer.
É que assim fico mais propensa a experimentar sugestões inesperadas, saindo um pouco daquela lógica netflix - em que encontro só coisas relacionadas com o que já assisti/li/conheço.
Gosto de ir fazendo listas enquanto leio, com boas opções para:

           - Café da manhã;
           - Almoço (o meu sempre inclui salada crua, verdura refogada, prato quente);
           - Jantar;
           - Lanches para o meio da manhã e da tarde;
           - Sobremesas.

Meus critérios são mais ou menos assim:
Escolher comidas saborosas, feitas com ingredientes frescos ou minimamente processados, que possam ser preparadas com antecedência sem perder a graça (se puder congelar, melhor ainda), que não exijam equipamentos ou utensílios muito específicos, que não custem caro.

Tem gente que gosta de escolher as receitas, elaborar uma lista de compras a partir delas, e ir em busca de ingredientes específicos. Eu faço algo parecido, mas com flexibilidade para adaptar de acordo com os ingredientes sazonais e regionais (é o que tem pra hoje, minha gente). Escolho as receitas e levo esta lista comigo quando vou às compras, seja na feira ou empório. Lá, fico atenta às possibilidades, vejo o que pode ser substituído. Por exemplo: em um recheio de torta, posso prescindir de tomate e colocar outra coisa no lugar. Já no arroz-com-feijão à cubana, preciso do tomate e do coentro.

Para dias mais relax, quando há bastante tempo, gosto mesmo é de ver o que tem na feira primeiro, deixando para escolher ou inventar receitas depois, a partir dos ingredientes.
Enfim. Questão de preferências e disponibilidade. 

Independente do método escolhido para a organização, minha lista semanal de o quê e quanto comprar segue sempre o mesmo padrão. Cozinhando para uma ou duas pessoas, uso:
- 1/2kg feijão (alternando as variedades)
- 1/2kg arroz integral
- 2 ou 3 variedades de salada crua, um maço ou quantidade equivalente de cada tipo (tomate, folhas, repolho, funcho, ervilha torta, broto de alfafa, broto de feijão, etc)
- 2 variedades de verdura para refogar (cenoura, couve, vagem, brócolis, abobrinha, couve-flor, jiló, quiabo, abóbora, berinjela, etc etc)
- 2 ou 3 variedades de frutas
- 1/2kg limão
- alho, cebola, 2 maços de cheiro verde (salsa, cebolinha, coentro, manjericão, outras variedades de ervas frescas)
- uns 300g de oleaginosas (bom para os lanches de meio de manhã e meio de tarde).
Até aqui, gasto em torno de R$60,00.
Dependendo da safra, do que estiver à venda, às vezes compro também um pouco de batata, ou inhame, ou aipim, milho. 

Não ando consumindo produtos de origem animal em casa, mas costumava comprar às vezes meia dúzia de ovos para a semana, 1l de leite para fazer iogurte, uma peça de uns 400g de queijo branco.
Pelo que conversei com um amigo, parece que 500g de carne seria uma quantidade boa para uma pessoa consumir na semana, e um filão pequeno de pão. 

Nas compras mensais, incluo aveia, farinha de trigo integral, fubá, grãos e leguminosas (grão de bico, trigo em grão), mais um tanto de sementes/oleaginosas (em quantidades pequenas, para que fiquem frescas e eu possa variar: semente de abóbora, de girassol, amendoim), café, erva mate, azeite, sal, vinagre - não perecíveis em geral, e produtos de limpeza.
Procure observar o que e quanto você e sua família costumam comer, o que gostaria de incluir no consumo diário, aonde o desperdício acontece na sua casa. Assim, poderá fazer uma boa lista para se basear cotidianamente.
Para isso, anotar realmente ajuda muito. 

Depois de tomar todas as decisões e fazer as comprar, vem a parte delícia!
Partir para as facas e panelas e preparar cada receita, depois guardar em porções separadinhas nos potes que vão ao congelador ou à geladeira, lavar a salada.

Gosto de deixar à vista o cardápio da semana, caso precise providenciar alguma coisa ainda. E também porque acho charmoso este que a Taís preparou com o logo do blog. Não é uma querida?
Dentro de alguns dias, vou colocar aqui link para você baixar a imagem se quiser ter um igual - antes preciso esperar ela voltar de férias :P

É só imprimir em tamanho A3, colar sobre uma tábua ou chapa de isopor, e revestir com papel contact. Aí pode escrever com caneta para quadro branco e apagar sempre que quiser (só cuidado para não confundir com caneta permanente!).

Gostaram?
Como vocês se organizam para não comer na rua só por causa da pressa? Dividam nos comentários!
Feliz ano novo para todos! E que a gente mantenha só os hábitos que façam bem.

ATUALIZAÇÃO: baixe aqui a imagem para fazer o seu cardápio!

13/01/2016 01:21:32

Fernanda Molinaro

Comentário
Nunca tinha pensado em fazer um cardapio! Geralmente eu compro o que eu acho bacana na feira ou no supermercado e invento depois.. acabo fazendo sempre a mesma coisa. Amei o post!

Resposta da Flora
Oi Fernanda! Sabe que eu também tenho essa tendência? Se não dou uma planejadinha com antecedência, fica tudo meio parecido. Obrigada por deixar seu comentário, volta sempre! :)

Deixar um Comentário