Logo-2017

0

Comida de Rua - Fogazza Junina!

15/06/2015 - 0 Comentários - Comida de rua | Açúcar refinado, Farinha de trigo refinada, Fermento fresco instantâneo, Massa, Pão, Queijo

Todas as imagens e o texto neste post são de autoria de Gabriel Marzinotto.

É Junho, então é época de aproveitar as festas juninas por aí. Aqui em São Paulo dá pra achar festas das mais distintas tradições, pratos típicos variados. Mas se tem uma constante em toda festa junina que se preze é a fogazza. Não? Bem, então é a constante na festa junina aqui do lado da minha casa. O que está ótimo pra mim.

A festa é da paróquia da igreja de São Rafael, na Moóca. Acontece durante os sábados e domingos de junho, todo ano. É pequena mas bem bacana – e bem cheia também. Barraca do churrasco, barraca da pescaria, barraca do vinho quente. As clássicas. Completam as barracas portuguesas com doces e salgados – com a campeã pessoal alheira por R$10 – e as duas barracas italianas, uma com macarronada e a outra com a já famosa fogazza.

Famosa e concorrida. A não ser que você chegue cedo (a festa começa as 18h) é normal esperar até mais de 1 hora na fila gigantesca. Como festa junina é algo pra se fazer em bando com amigos e familiares o truque é já pegar a fila quando chegar e ficar a galera papeando junta, com um ou outro buscando os comes e bebes pra quem fica na fila.

Como você já deve ter sacado pelo texto construído até aqui: vale a pena. A massa é bem macia e gostosa e é ultra bem recheada. Sempre peço a de queijo, mas você pode pedir a de frango que também é legal. Como qualquer fritura com queijo derretido é sempre bom ficar esperto com o óleo que escorre quando se chega no recheio. Acho realmente a mais gostosa das festas de rua da cidade, vencendo as mais badaladas da festa da Nossa Senhora Achiropita e da festa da San Gennaro.

É grande o suficiente pra ser uma refeição completa, mas se você for como eu sempre existe espaço pra supracitada alheira, tudo acompanhado por um vinho quente bacana ou o refresco que melhor lhe aprazer. É sentar em alguma das mesas colocadas pela paróquia ou se sentar nos degraus da porta da igreja e se divertir comendo.

Endereço: PARÓQUIA SÃO RAFAEL: Largo São Rafael, s/nº - Mooca, São Paulo.  Tel.: (011) 2292-4528.

 

Fazendo em casa

A fogazza é bem simples de fazer. Mas decidi mudar algumas coisas da receita clássica. Uma delas foi que ao invés de frita no óleo quente decidi fazer assada. Por que? Porque eu andei comendo mal pacas nesses últimos tempos e como aqui em casa fritura impera, achei de bom tom fazer algo menos pesado (mesmo assim, nada leve). A outra coisa que mudei foi que dei uma mexida no recheio. Nada extremo, mantive o sabor, só variei os queijos e não usei tomate. O porque de não usar tomate foi mais fácil: porque está caro demais e os que eu achei no mercado pareciam ter encontrado o ISIS no caminho vindo da roça. Enfim.

Ingredientes da massa:

  •        3 xícaras de farinha de trigo;

  •        1 tablete de fermento biológico fresco (10g);

  •        1 colher de sopa de açúcar;

  •        ½ xícara de óleo de canola;

  •        ½ xícara de água morna;

  •        1 colher de chá de sal;

A massa, como eu disse, foi simples. Misturei o açúcar com o fermento até ele dissolver e virar aquela papa. Depois fui colocando a água morna, o óleo e sal. Misturei aos poucos com a farinha. Fica um ponto engraçado. Fica um teco borrachuda, mas ao mesmo tempo nada grudenta – por causa do óleo fica sempre bezuntada. Fui dando beliscões na massa pra evitar qualquer pelota e deixar bem uniforme. Fiz uma bola, coloquei um pano por cima e esperei um bom tempo até dobrar de tamanho (aproximadamente 1h30, já que estamos no outono e no dia estava bem frio). Aí fui fazendo as bolinhas e abrindo primeiro com a palma da mão, depois com o rolo de macarrão. O legal é deixar círculos perfeitos de uns 20cm de diâmetro, mas as minhas ficaram bem ovais.

A receita rendeu 4 discos. Aí foi só esperar o recheio. Você pode fazer do que você quiser. Eu como já disse fiz de 3 queijos.

Ingredientes do recheio:

  •        Queijo muzzarela ralado;

  •        Queijo gruyere ralado;

  •        Gorgonzola em pedaços;

  •        Orégano;

O quanto de cada queijo, exato, não deu muito pra saber. Comprei 200g de cada um deles mas não usei metade. O que usei no final deu 3 cumbucas de 250 ml (= 1 xícara), uma pra cada queijo já ralado. O orégano a gosto.

Coloquei o recheio no centro do disquinho, sempre caprichando na muzzarela e no gruere e sendo mais moderado no gorgonzola, fechei (deixei umas bem gordinhas, outras mais baixas) e coloquei na assadeira forrada com papel manteiga. Deixei o forno pré-aquecendo por uns 20 minutos à 200 graus antes de colocar as meninotas lá. Depois de 30 minutos assando ficaram prontas!

De cara tenho que dizer que o visual delas assadas é bem menos legal que fritas. Ficaram achatadas e largas, cor mais clarinha. Meio pastéis estranhos. Mas achei que o sabor ficou excelente. A massa bem menos oleosa ficou fofinha e suave, deu pra sentir o sabor dos queijos com mais destaque. A galera aqui em casa curtiu bastante.

Espero que tenham gostado! 

Deixar um Comentário