Bg_site_br

33

Comida de rua - churros de roda da Mooca.

26/09/2014 - 33 Comentários - Comida de rua | Açúcar refinado, Canela, Farinha de trigo refinada, Fermento químico, Óleo de canola, Sem laticínios, Vegano


Todas as imagens e o texto neste post são de autoria de Gabriel Marzinotto.

 

Existem carrinhos de churros espalhados pela cidade toda, sempre com aquela massa doce acrescida de mais doce de leite, injetado por dentro. É gostoso, mas devo ser sincero: 
acho meio enjoativo, pesadão. É doce frito, cheio de óleo, injetado com mais doce ainda. Raramente como por aí. 
Também porque tenho memória afetiva de outro tipo de churro, que comia com minha família nas manhãs de domingo: a versão de roda do Churros da Moóca.

Pra quem não conheceu, era um lugar peculiar. Sob o comando do simpático Seu Toninho, parecia um boteco bem simples sem placa externa nenhuma, que abria de madrugada (lá pelas 2h) e ficava aberto até o meio dia.
Era na Rua Dona Ana Neri, na região mais detonadinha da Mooca, próximo à igreja de San Gennaro e da baixada do Glicério. Quem é da região passava lá de manhã e trazia aquelas voltas de churro embrulhadas em jornal. Mas o grosso da clientela aparecia de madrugada mesmo: gente que saía dos bailes (quando ele iniciou, em 1957) e das baladas (até 2008, quando ele fechou) pra tomar aquele café da manhã gostoso antes de cair na cama. Era comum também ver os feirantes que davam uma passadinha ali antes de começar o dia.
Tinha fila, às vezes era uma bagunça, mas sempre era divertido. E principalmente: era simples e delicioso.

Ao contrário do churro dos carrinhos, o churro de lá era salgadinho. O doce vinha do açúcar com canela deixado em pratos pelo balcão, pra cada um afundar seus nacos. Era especial comer lá, no balcão, acompanhado de um copo de café com leite. Era barato também, umas três voltas saíam por menos de 10 reais.
Infelizmente não existe mais – o Seu Toninho ficou doente e teve que parar. Mas gente da cidade toda ainda lembra com carinho.

Para esta coluna fui atrás de algum lugar pra comer churro de roda. Por isso, deixei de lado algumas “churrerias” bacaninhas que surgiram nessa onda gourmet que tomou a cidade nos últimos anos – não por serem chiques, mas porque as que achei eram opções mais ajeitadas do churro dos carrinhos. Bem, não precisei procurar muito longe: no Tatuapé existe a Casa do Churro, que faz churros de roda há muitos anos e abriu uma filial aqui na Moóca. Perfeito, o retorno espiritual do Churros da Moóca.
Bem, mais ou menos.

O ambiente é também simples, mas mais ajeitado: um balcão com o mostruário dos sabores, algumas poucas mesas na entrada. A Casa do Churro vende diversos tipos de churros, tanto o clássico de roda quanto os bastões recheados. E inventa bastante também, transformando a roda em uma espécie de base para coberturas variadas: doce de leite, chocolate, beijinho e até inova colocando versões salgadas como com catupiri e bacalhau (vish).
Eu não tive muita coragem, não é pra mim. Minha irmã pediu um de beijinho e achou bacana – apesar do preço ser um pouco alto demais (R$ 8,00). Eu pedi um trecho de roda clássico (eles vão cortando a espiral em pedaços, com uns 20 cm cada), só com açúcar e canela mesmo (R$ 4,50). Bem bom... mas mais parecido com um churro de carrinho. A massa já era doce e crocante.
Não era a mesma coisa, ainda que fosse um doce mais suave que os encontrados na rua. Por exorbitantes 55 reais levei roda inteira do Tradicional pra família em casa e comemos felizes, mas sempre lembrando com carinho daquela versão mais salgadinha, sequinha e borrachenta do Seu Toninho.

Fazendo em casa
Se não dá pra achar por aí, a solução foi tentar fazer em casa. A receita foi... difícil de achar. Até porque a receita dos Churros da Moóca só o Seu Toninho sabia. Na internet é fácil achar a variante doce, mas a salgada realmente não é popular por aqui. Mesmo em sites espanhóis é bem mais comum achar versões açucaradas. Bem, com perseverança e portunhol de quinta, achei algumas opções mais tradicionais. Seguindo a dica de outras pessoas que compartilhavam meu interesse, fui atrás das também espanholas porras, uma variação do churro.
A diferença é mínima: na porra vai fermento, no churro não. Agora: qual era a versão do Seu Toninho? Isso vai continuar um mistério.

Felizmente minha mãe tinha uma amiga de infância cuja mãe – Dona Rosa – fazia um churro de roda bem parecido com aquele da Moóca. Pelo telefone ela em confirmou os ingredientes:
Farinha de trigo, sal, fermento Royal e água morna, quase fria. O problema é que a Dona Rosa faz tudo no olho, não sabia ao certo as quantidades. Bem, como havia achado uma página em espanhol com umas proporções aproximadas, senti que era hora de tentar. O primeiro teste foi mal sucedido. Segui à risca uma receita espanhola, que sugeria usar água bem quente em proporção 2:1 com a farinha. A culpa foi minha, porque nessa receita iam 2 ovos também, o que devia dar liga para a massa. O resultado foi uma pasta bem cremosa, que ao chegar na frigideira se espalhou, formando grandes panquecas disformes crocantes. Ficou até que gostoso, sendo sincero. Mas tava longe de ser um churro.


Desastre!

Estudando meu erro, decidi cortar a quantidade de água pela metade e tentar novamente. 
Sucesso. E ficou assim:

Ingredientes
- 2 xícaras farinha de trigo
- Aproximadamente 2 xícaras água morna (quase fria)
- 1 colher de chá de sal
- 1 colher de chá de fermento Royal
- 1/2 garrafa de óleo (usei de canola, mas pode ser de milho ou soja)

Comecei botando a água pra esquentar. Depois, coloquei já na água o sal e o fermento. Aos poucos, fui jogando na farinha e batendo. Acho que o truque está em realmente ir na intuição.
A quantidade de água é meio essa, sendo o objetivo deixar a massa com aquele aspecto de goma, mas que já começa a soltar com facilidade. Por isso, no final, não cheguei a usar as 2 xícaras inteiras, foram uma e três quartos da segunda.

Como não tenho aquela ampola gigante pra espremer a massa em tubo, improvisei com um ziploc grande. Dei um picote em um dos cantos (espessura de um dedo, mais um menos), enchi com a massa e estava pronto pra fritar. Usei um wok com quase uma garrafa de óleo de canola, mas aconselho usar uma frigideira grande e funda. Isso porque ao fazer a espiral, as paredes inclinadas do wok jogavam a massa para o centro, espremendo os alos, deixando-os meio grudados. De qualquer forma, o óleo estando bem quente vai evitar que a massa se embole, porque assim que cair na frigideira formará uma casquinha. Uns 5 minutos e algumas viradas já bastam.

Com essa receita consegui fazer 2 rodas pequenas, de uns 25 cm de diâmetro. Em uma frigideira maior dá pra chegar perto daquele tamanho “pizza” do Seu Toninho e da Casa do Churro. Passamos um café pra acompanhar e comemoramos: ficou muito bom. O salgado da massa contrasta com o açúcar com canela jogados por cima, a massa fofa com a casca borrachenta dá aquela sensação aconchegante de um bolinho de chuva. Perfeito pra um café de fim de tarde, ou um café da manhã aconchegante.


Espero que tenham gostado. Quem tiver alguma dica de outros lugares de churros pela cidade (ou de comidas rápidas bacanas), comente!

 

28/04/2017 23:18:35

Waldir

Comentário
Gostei muito do comentário do churro. Conheci toda a familia do Sr. TONINHO. FRequentei muito a casa nos anos dourados. Quem não viveu essa época, nao sabe o que é bom. Saiamos das baladas e nos encontrávamos na Ana Néri. Filas gigantescas pra esperar a roda de churro quentinho embrulhado no jornal e acompanhado de um delicioso chocolate quente ou pingado servido em copo americano. Nada se compara. Bons tempos. Adivinhem o q sobrou pra mim.? Hoje em dia, sou o churreiro da família e passo horas no fogao preparando varias rodas.

Resposta da Flora
Gente, que comentário demais! Adorei saber Waldir! Se tiver dicas do preparo, compartilha aqui. Um abraço!

13/01/2017 23:04:46

marcilei mazucato

Comentário
Boa noite pessoal, estou procurando a receita do delicioso churros salgado de feira,é assim que conheco, pois nunca comi ele com açucar , kkk,nos tempos de menina trabalhei nas feiras de domingo na rua Fenicia, no parque novo oratorio perto da igreja Maria Imaculada( para facilitar a localização) e na feira de sexta feira que fica na rua Bahia blanca, é perto da rua fenicia kkkkk, alias pessoa na feira de sexta tem um pastel maravilhoso da barraca do SR Pedro um senhorzinho, Japones, que hoje a 15 anos longe de santo andre sempre que posso vou comer pastel lá , alias a sua receita é muito boa , obrigado,

Resposta da Flora
Oi Marcilei! Tudo bom? Fico feliz que vc gostou da receita, volte sempre! Imagina só que delícia deve ser este pastel também! Quando passar por Santo André, quero experimentar. Obrigada por deixar seu comentário. Um beijo.

13/01/2017 13:28:55

Sergio Boccia

Comentário
se esticassem as rodas que comemos desse churros do saudoso e inesquecivel Toninho dava para dar 3 voltas na terra...trabalhei por 20 anos na Antarctica, ali muito perto. e invariavelmente era nosso café da manhã....sem contar nos finais de semana com festas mau servidas rsrsrsr que passavamos no Toninho lá pelas tantas eu em minha esposa....churros um cafezinho com leite no copinho americano...e levamos um roda para casa embrulhada no jornal....QUE TEMPOS. beijos turma.

Resposta da Flora
Que lembranças mais queridas, Sergio! Obrigada por deixar seu comentário :)

03/01/2017 18:27:15

afonsomfneto@hotmail.com

Comentário
Mas infelizmente o Sr Toninho do Churro da Mooca veio a falecer de pneumonia aos 86 anos, deixou filhos, netos, bisnetos e esposa de um segundo casamento, deixou saudade e uma marca de amor, dedicação a servir clientes e amigos os quais os chamava de 'minha família' Melhor é ir à casa onde há luto do que ir a casa onde há banquete; porque naquela se vê o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração. Eclesiastes 7:2 Deus abençoe a todos Pr Afonso Martins São José do Rio Preto,SP A Nota de Falecimento está aqui : http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2017/01/1846505-mortes-dono-do-churro-mais-famoso-da-mooca.shtml Antonio Garcia Lopes (1930-2016): Mortes: Dono do churro mais famoso da Mooca - 03/01/2017 - Cotidiano - Folha de S.Paulo www1.folha.uol.com.br Antes mesmo que os apitos das fábricas avisassem o início de mais um dia de trabalho no bairro da Mooca, na década de 50, seu Antonio já estava de pé. Para o filho de espanhóis, o expediente começava às 2h da madrugada, hora em que vestia seu avental e abria sua loja de churro. http://www.saopaulominhacidade.com.br/historia/ver/2060/Fechou%2Ba%2Bcasa%2Bque%2Bvendia%2Bo%2Bmelhor%2Bchurro%2Bde%2BSao%2BPaulo%2521/pagina/2

Resposta da Flora
Olá Afonso! Muito obrigada por deixar seu comentário. Com certeza, o Sr Toninho deixou muita saudade e carinho pela Mooca e as pessoas que o conheceram. Um abraço, volte sempre.

23/12/2016 10:08:45

Lais cristina barone de souza

Comentário
Ola amavamos o churro do seu toninho. Vc sabe o endereco onde achamos um churros parecido?

Resposta da Flora
Oi Lais! Tudo bom? Pelas dicas que o pessoal deu aqui nos comentários, em Santo André se encontra o churros de roda tradicional em dois lugares: - No Sacolão Craissa, dentro do Ceasa, parece que tem um quiosque (fica na Av das Nações). - E a dica do Thiago, que tb deixou um comentário, é a feira do Parque Novo Oratório. Conta pra nós se você por lá? Um abraço grande! Volta sempre.

08/11/2016 23:32:01

Camila

Comentário
Ops, esqueci de dizer q a feira é de sexta!!!

08/11/2016 23:31:00

Camila

Comentário
Olá, O endereço da feira em São Caetano é R: Tenente Antônio João Bairro Cerâmica. Comi esses dias lá . Três pedaços grandes da 4,50

Resposta da Flora
Mmmm, boa notícia! Obrigada, Camila :)

07/10/2016 18:01:11

marcio oliveira

Comentário
Hola! Gostaria de acrescentar a essa conversa uma informação. O seu Toninho não fazia churros na sua loja, mas sim 'porras'. Isso mesmo. Churros são feitos com massa distinta. A massa dos churros, que também é salgada, precisa ser cozida. Também não se usa fermento, como nos caso das porras. É uma massa dura e é por conta disso que os churros precisam ser feitos com uma maquina. O processos fica pesado por conta da massa espessa. Sendo churros, ou porras, o que importa é que ambos são uma delícia. Saludos!

Resposta da Flora
Oi Marcio! Tudo bom? Gracias pela adição :) Provavelmente se optou por chamar de churros pra evitar a confusão idiomática.. Volta sempre! Um abraço!

11/08/2016 22:20:42

CLAUDIO

Comentário
Informo que o churro do Toninho era muito bom, porem o do Sogro dele era melhor, vocês imaginem fazer no fogão de carvão, não tinha comparação, não tinha mesa, nem cadeira, era bem simples porem a qualidade (esses churros de hoje) é uma piada, não teve e não haverá igual. é como o BAURU do Bilhar do Dorázio da Mooca a Pizza de Mussarela do Avenida Chic. A pizza de Alho e Óleo do Lourenço na Mooca. quem comeu comeu, quem não comeu não sabe o que perdeu. não irá comer nunca mais, porque, Acabou.

Resposta da Flora
Oi Cláudio! Tudo bom? Tem pratos deliciosos, como esses que você lembrou, que realmente se perdem depois que os cozinheiros não estão mais entre nós, não é verdade? Nos resta matar a saudade tentando recriar em casa as versões mais caprichadas que a gente puder. Vamos ao avental, e mãos à obra! :) Volte sempre! Um abraço.

19/07/2016 19:46:04

Marcia Trizzino Ardito

Comentário
Flora, me desculpe nunca mais ter respondido. Mas só agora tive vontade de comer o nosso churro, e fui atrás do seu blog. A receita da minha sogra é. 1 xícara de farinha, a mesma medida de água, uma colher de chá de fermento, sal. Misturar muito bem, e fritar. Eu fiz e ficou muito bom. Não coloquei no saquinho. Fui jogando no óleo e formei um círculo, quando fechou eu parei. Joguei óleo em cima, virei e pronto. Vou tentar colocar a foto. Mas se não der me desculpe. Se voçe entrar no meu face, Vera a foto. Bjs

Resposta da Flora
Bom dia, Marcia! Tudo bom? Obrigada pela receita, querida! Sempre é bom a gente descobrir mais de um jeito de preparar cada receita, e os truquezinhos de outras pessoas :) Eu, que não conheço o churro original da Mooca, ainda preciso experimentar em casa. Quem sabe nesse final de semana é uma boa, hein? Vou procurar a foto no seu fb pra matar a curiosidade! Beijos. Volta sempre.

10/07/2016 23:43:04

claudia burbulhan

Comentário
fiz os churros, a receita é muito boa! frequentei assiduamente a casa de churros do Sr. Toninho, um grande amigo! duas dicas: 1) a quantidade de água que deu certo p/ mim é menor, tipo no máximo 3/4 de ´xícara de água p/ 1 xícara de farinha 2) preparar a massa e fritar imediatamente pois essa massa não tolera descanso por causa do fermento Royal

Resposta da Flora
Oi Claudia! Muito obrigada por deixar seu comentário e as dicas! Assim mais pessoas podem preparar em casa essa delícia cheia de lembranças :) Volte sempre!

28/06/2016 21:36:35

Magda Helena alves Cunha

Comentário
Morava na vila do churreiro mais famoso da Mooca, era humilde, simpático e muito talentoso, seu Antônio, saudade. Ainda hj familiares meus moram lá, e curti muito esses churros. Toda vez que passo em frente a churraria da Ana Nery sinto muita saudade do sabor. Tempos excelentes, vou até Sto André para novamente encontrar esse sabor inigualável, churros salgado de roda. Amo .....

Resposta da Flora
Bom dia, Magda. Que privilégio ser parte desta vizinhança! É uma delícia relembrar estes momentos, não é verdade? Aproveita muito lá em Sto André, e seja sempre bem vinda por aqui :)

26/06/2016 08:45:13

Nelson Requena

Comentário
Soube de uma feira em São Caetano do Sul que tem churros em rolo, já comi porque uma amiga trouxe, porém perdi o contato e não consigo encontrar essa feira

Resposta da Flora
Oi Nelson, tudo certo? Poxa, que pena perder este contato! Até agora, o pessoal deixou aqui nos comentários informação de que encontraram na feira e no ceasa em Sto André. Se encontrar o contato em S Caetano novamente, conta pra nós? Valeu! Volta sempre.

25/06/2016 19:28:13

Mauro Baraco

Comentário
muito legal esta conversa de churros, toda quinta ia na feira do bairro camilópolis em Santo André - SP, para comer uma porção de churros de roda, boa lembrança esta, tem gosto de infancia, hoje moro em Curitiba, mas não faz muito tempo fui em um varejão do Craisa, que fica dentro do Ceasa de Santo André e encontrei um rapaz fazendo o churros de roda, eita encontro maravilhoso, um abraço a todos. Mauro de Curitiba.

Resposta da Flora
Oi Mauro! Tudo bom? Obrigada por deixar o comentário, rapaz. Esse churros realmente traz muitas lembranças boas, hein? Que bom que lá em Sto André ainda tem onde encontrar. Quando estamos longe, a opção é tentar recriar em casa pra matar um pouquinho a saudade, né? Volta sempre!

02/06/2016 22:42:36

Maisa ortencio

Comentário
Fiz sua receita e adorei, deu certinho, me lembrei muito e com muita emoção la do seu Toninho, eu trabalhava no Banco Itau da Ana Nery e comia os churros todos os dias, me deu muita saudade desse tempo e sua receita fez eu matar um pouquinho dessa saudade, parabéns e felicidades.

Resposta da Flora
Oi querida! Que coisa mais boa :) Nunca é a mesma coisa, mas já dá uma alegriazinha no coração quando a gente mata saudade de uma comida gostosa na cozinha de casa, né? Volta sempre! Beijos.

26/05/2016 12:45:32

Sá lua Aparecida Vallelongo

Comentário
Bom dia! Isso realmente passou as lembranças da minha infância ... Não era bem na Mooca mas perto ... em frente a uma alfaiataria do Nelson (acho) onde quando criança meu pai me levava passear na V.Prudente ... era delicioso o churros espiral salgado ...linda lembrança de um tempo que não volta mais. Felicidades

Resposta da Flora
Oi Sá Lua! Esse churro é mesmo comida de alma, não é? Recheadinho de lembranças boas :) Se experimentar prepara-lo em casa, conte para nós que tal saiu! Um abraço, volta sempre.

25/05/2016 00:51:14

alfredo

Comentário
Tentei fazer essa mesma receita a um ano atras e quase me queimei de tanto que espirrou o óleo,. não sei oque deu errado. Vou tentar novamente. No , CRAISA(SACOLÃO) de Santo André (av. dos Estados) tem um quiosque que faz esse tradicional churro salgado, que antigamente era comum encontra-los nas feiras do ABC.Parabens por publicar sua receita.

Resposta da Flora
Oi Alfredo! Tudo certo? Poxa, que pena que você teve problemas com a receita. Até agora, ainda não tínhamos recebido comentários nesse sentido. Você tentou mais uma vez? Deu certo? Obrigada pela dica de onde encontrar o saudoso churros em Santo André! Volte sempre, um abraço!

08/05/2016 01:22:22

Décio

Comentário
Vocês não imaginam a alegria que estou sentindo em saber que mais pessoas gostavam desse churro salgado, Quando eu era criança no Parque das Nações em Santo André eu sempre fazia questão de ir a feira bem cedinho com minha mãe só pra comer essa delícia e também doce Halawi que eu adorava. Nossa! Babei agora. rsrsr. Da última vez que comi esse churro foi mesmo no Seu Toninho depois de uma noitada no começo dos anos 90. Vou fazer essa receita o mais rápido possível e depois vou a Santo André conferir a dica valiosa do nosso amigo Thiago lá do Parque Novo Oratório. Obrigado.

Resposta da Flora
Oi Décio! A gente é que agradece por você passar por aqui e compartilhar um pedacinho de suas lembranças :) Nos conte que tal saem os churros na sua cozinha, ok? Volta sempre!

19/04/2016 18:18:07

thiago

Comentário
Ola td bm amei a receita eu comia muito isso na feira com meus pais quando era criança, depois acabou e fiquei anos sem comer e achar, hj com 31 anos eu achei numa feira perto de casa aq em santo andre muito bm , obrigado pela receita e se alguem quiser saber onde ? a feira eu mando o endereço ou só chamar no whats 960579715

Resposta da Flora
Oi Thiago! Que bom saber que você encontrou ali por Santo André! Todo mundo que comenta sobre este churros tem lembranças muito legais, mesmo. Obrigada por deixar seu comentário! Volta sempre :)

22/02/2016 21:06:35

Gabriel Marzinotto

Comentário
Oi Luciana, aqui é o Gabriel que escreveu o post! Realmente é uma pena a família não ter continuado. O importante é manter a tradição viva em casa, até alguém decidir abrir um lugar seguindo essas receitas! Então, na que deu ERRADO eu usei de base para as quantidades uma receita espanhola que iam ovos, mas não coloquei porque a Dona Rosa, que me ensinou por cima, falou para não colocar. Então acho que uma não casou com a outra, sabe? A segunda, que deu CERTO, não precisa de ovos, só farinha mesmo. Acho que fica bem leve assim. Se você fizer, depois nos conte como foi! =]

21/02/2016 22:28:14

Luciana

Comentário
Olá adorei a dica, conheci seu Toninho, que pena mesmo que ele muito esforçado e com certeza deve ter levado o sustento de sua família com fruto dos seus churros! E que ninguém de sua família nem filhos ou netos quis levar à diante tamanha tradição, sabe-se lá os motivos não é mesmo! Teria muito orgulho. Enfim... Só não entendi uma coisa na receita, no fracasso Rs .... Você menciona acrescentar ovo e na que deu certo, e na que deu certo ? Você não coloca ovo ? Pois na receita não tem ovo ! É isso mesmo ? Agradeço!

29/01/2016 17:15:56

Celisa S.Lopes

Comentário
Nossa muitas saudades dessa delicia, tempo bom de infância e até meus filhos experimentaram o churros do Sr.Toninho. Mudei p/interior de SP e aos domingos ainda ia para SP buscar o famoso churros. É uma pena que não continuaram com a tradição. Agora ficou só a lembrança gostosa.

Resposta da Flora
Oi Celisa! Tudo bom? Muito obrigada por deixar seu comentário. O Sr Toninho deixou muitos fãs, não é mesmo? Se você tentar preparar o churros em casa, venha nos contar como saiu :) Volte sempre! Um beijo.

16/01/2016 05:47:01

Gabriel Marzinotto

Comentário
Olá! Fico feliz que o texto e a receita tenham lembrado todas de bons momentos com o Seu Toninho. Era algo único e especial da cidade e do bairro, e uma pena que ninguém continuou na Ana Neri. Mas achei legal que vocês estão continuando a tradição dentro de suas casas e com suas famílias - acho que esse espírito era muito importante nos churros do Seu Toninho. Valéria e Marcia, compartilhem suas receitas! A que fiz também é (levemente) salgada - na massa. O açúcar só entra misturado com a canela, jogado por cima na hora de comer. Obrigado pelos comentários!

07/01/2016 17:29:08

Natacha Ramos

Comentário
Fui uma das pessoas que teve o privilégio de comer o churros do Seu Toninho na madrugada. Tudo muito simples e ao mesmo tempo mágico. Em nenhum outro lugar seria aceitável comer algo enrolado em jornal...rsrsrs...mas lá tudo combinava e aquela massinha simples era uma iguaria divina a ser apreciada. Uma pena que tradições tão lindas estejam sumindo das nossas vidas. Obrigada a Flora por nos trazer a memória algo tão especial.

Resposta da Flora
Oi Natacha! Muito obrigada por deixar seu comentário. Quem conheceu Seu Toninho tem muito carinho por ele, não é? :) Infelizmente, estes lugares antiguinhos vão sumindo da paisagem das nossas cidades aos poucos, mas a gente pode manter a tradição dentro de casa... Se você preparar o churros por aí, conta pra nós como saiu, ok? Um beijo! Volte sempre.

25/12/2015 17:28:55

valéria lopes pedro

Comentário
Olá Flora, Um feliz natal à todos! Estou aki com minha família e resolvemos procurar a reveita do churros salgado,meu pai Luiz pedro morou até se casar na rua Ana Neri casa 4,sempre nos conta essas histórias e fico doida de alegria ao relembrar minha infância comeus avós Yolanda pedro e José pedro,sua vizinha Dona Chiquinha,e aquela vila encantada.... Quanta saudades!!!! Vou tentar fazer junto cinha mãe e minhA filha. Muito obrigada por compartilhar este momento. bjuss e muita felicidadea. lella e família.

Resposta da Flora
Oi Valéria, tudo bom? Gente, que delícia saber da sua história! Como saiu a receita? Foi a família toda para a cozinha? :) Obrigada por deixar seu comentário! Tenha ótimas festas, e volte sempre. Beijos!

12/10/2015 22:20:57

Marcia Trizzino ardito

Comentário
Flora, como você, o churro sempre fez parte na minha vida. O Salgado. Íamos sempre na rua Ana Neri no bairro da Moóca, comprar com o seu Toninho. A minha sogra sempre fez essa receita do Sr. Toninho, e era o maior sucesso na família. Ela depois ficou doente, veio a falecer e aí íamos no seu Toninho até ele morrer. Esta semana tive uma vontade grande de comer churro . Aí lembrei que eu tinha uma receita dela. Fui procurar achei, e. Ficou muito bom. Entrei no Google e também bati com a sua. Foi muito legal. Ficou muito bom. Mas o meu é salgado. Também fiz como bolinho.

Resposta da Flora
Bom dia, Marcia! Como vai? Este artigo, na verdade, foi escrito pelo Gabriel Marzinotto, que colabora aqui com o blog. Ele conhece um bocado sobre comida de rua, cresceu e vive na Mooca. Fiquei com muita vontade de conhecer o churros do Seu Toninho, mas agora só se eu mesma testar a receita... poderias dividir conosco a receita da tua sogra? É parecida com essa daqui? Obrigada por deixar seu comentário, volte sempre!

21/09/2015 00:27:52

Glória Maria

Comentário
Olá Flora, adorei seu post. Descobri vc no programa que assisti Andy Bates no Brasil, é vc não? Adorei Abraços

Resposta da Flora
Oi, oi! Tudo certo? Fico feliz que você gostou, volta sempre :) Participei do programa do Andy em São Paulo sim. Pena que não pude ir com a equipe nos outros estados do Brasil, eles estiveram em lugares lindos!

07/09/2015 23:56:35

Edna Aparecida Caruana

Comentário
Com certeza, do pessoal antigo da Mooca, deve ter alguém que saiba fazer aquele churro do Seu Toninho. Quem sabe alguém não se apresenta com a receita ou ainda, faz uma casa de churro com a receita de verdade. Vamos torcer e se alguém descobrir, favor postar.

Resposta da Flora
Bom dia, Edna! Esperamos que sim. Se a gente souber de mais informações, com certeza vamos atualizar o post. Volte sempre, obrigada pelo comentário.

21/08/2015 02:24:46

Danielle

Comentário
Pena que não dá para publicar a foto do Churros que acabei de fazer com a maquininha que herdei da minha Vó Josepha Rueda, descendente de Espanhol, ficou igual o dela e do Seu Toninho, rsrsrs, muitoooo bom, bjs

Resposta da Flora
Uau! Quero ver Danielle! :) Aqui em cima dos comentários tem um botão escrito "I cooked this", você pode mandar a foto por ali. Ou se publicar no instagram, por exemplo, marca #blogflorarefosco pra gente poder ver! Beijo, obrigada por dividir com a gente!

10/07/2015 00:59:03

Marco Ceravolo

Comentário
Sou de família espanhola, minha avó fazia e agora minha mãe sempre faz pra nossa família. Incrível como uma coisa tão simples pode ser tão gostosa é tão tradicional. A receita é essa mesma, mas uma dica é a temperatura do óleo, bem quente, mas sem fazer muita fumaça!

Resposta da Flora
Oi Marco, tudo bom? Nada como receber uma confirmação de quem vive a tradição na prática. Muito obrigada! :) Volta sempre. Um beijo.

21/06/2015 22:10:55

Felix Bona Jr

Comentário
Saudades!! Certa fez aproximadamente as 4hs da madrugada de um sábado, indo para uma pescaria com um amigo, passamos no Seu Toninho para comprar uma roda (um lanchinho..kk), quando aparece uns 10 casais os rapazes de termo e as moças de longo, e a surge a NOIVA E NOIVO, muito legal...rssss

24/03/2015 13:33:26

Isabella

Comentário
Nossaaaa, que saudade dos churros do seu Toninho! Pesquisei, na esperança de encontrá-lo vendendo novamente, ou então um de seus familiares.. Uma pena que tenha fechado! Mas vendo sua foto, me veio a imagem dos churros do seu Toninho, ficou bem parecido! Que nostalgia lembrar rs Vou tentar preparar esses churros! Beijos!!

10/03/2015 12:41:18

Thelma Aguiar

Comentário
churros.

Resposta da Flora
Sim, e dos bem tradicionais Thelma! Dá vontade de passar um café na hora, né? Cê tentou preparar os churros por aí? Beijo.

Deixar um Comentário